quarta-feira, 2 de maio de 2018

DELICADEZAS


Estou bem atrasada com este post, mas tudo bem. 
Dia dezoito de abril foi meu aniversário. Não me importo com a data, não comemoro, para mim é um dia normal. Só tiro um tempinho a mais para fazer um agradecimento especial a Deus por tudo que ele tem feito por mim.
Como de costume levantei cedo, e encontrei na mesa além de café quentinho e cheiroso, dois livros e dentro de um deles uma carta linda escrita com todo amor pelo Diego. Ele sempre me escreve coisas lindas no meu aniversário.Nem preciso dizer que as lágrimas rolaram sem nenhum pudor.
Logo em seguida Lucas me dá o abraço mais aconchegante do mundo com desejos de muita força e orações  de agradecimento.
Recebi também muitas mensagens  com desejos de saúde e paz. Entre elas, a de um amigo que faz uns anos que não nos falamos. Aí vieram ligações de mãe, irmãs, irmão... e a essa altura os olhos já estavam inchados de chorar. Estou derretendo  por qualquer coisa. Também recebi a visita da minha grande amiga (prof, de dança ), com mimos e muitos abraços. Quando penso acabou, olha quem me liga!? Minha doce amiga Alda. Um presente que essa coisa chamada blog, trouxe para minha vida. Como se não bastasse ter me dado a alegria de ouvir suas palavras doces, ela ainda me escreveu uma carta cheia de afeto, que chegou sábado, junto com uma revista cheia de textos lindos e mais um mimo. Só tenho mesmo que agradecer tanto carinho e cuidado que Deus e todas essas pessoas que amo, tem para comigo.
Obrigada, Senhor!
Obrigada a todos que fizeram orações por mim.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

BUSCANDO POR MIM






Faz um tempinho que não venho aqui. Como não tenho nada de novo, fica chato falar sobre meus lamentos e medos o tempo todo. Estou parada no tempo, ou o mais certo é; parada, vendo o tempo passar, se esvair...e eu, perdida, com todas as amarras possíveis me prendendo, me impedindo de seguir em frente. Impedindo de viver, de fazer algo de concreto. O medo prende, paralisa, sufoca, mata aos poucos.
Estive lendo alguns comentários meus no meu blog, e em blogs que costumava seguir. Parece que foi outra pessoa a fazer comentários, escrever textos...Não resta nada daquela Edna que fui um dia. Apenas a fé em Deus e o amor infinito pelos meus filhos resta dentro de mim.
Eu sempre tive problemas enormes, lidei com todo tipo de dificuldade, sem perder a esperança, de cabeça erguida, com um sorriso enorme (apesar de tímido). 
De uns anos pra cá, fui me perdendo de mim. Deixando pelo caminho a mulher corajosa, cheia de energia, cheia de sonhos... Sinto que minhas forças foram sugadas de mim. E na verdade foi isto que aconteceu.
Ao contrário do que possa parecer, não me entreguei a síndrome do pânico, ao medo, a depressão;Tive forças para me separar, sempre me levanto, faço orações, me arrumo, cuido da casa, leio, converso com meus filhos, caminho...sigo o tratamento religiosamente, busco dentro de mim novos pensamentos... mas eles não fluem.
E o tempo passa. E eu não renasço para vida. Não consigo resgatar a Edna que foi ficando pelo caminho, junto com tanta dor, tantos medos...
Vou continuar minha busca por mim.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

SEPARAÇÃO


Nunca pensei viver esse momento... em meio a tanta dor que já enfrento com a síndrome do pânico agora estou tentando lidar com minha separação.
Um casamento da minha vida inteira. Nunca foi um casamento feliz, pelo contrário, muito triste, complicado, difícil... Nesses 26 anos dediquei toda minha vida a ele e a família. Só sei ser casada, não aprendi outra coisa.
Há muito não estava mais suportando tanta dor, tanto descaso, desprezo... Então descobri as traições a alguns anos. Fui perdoando, tentando refazer a história, tentando acreditar na mudança. Mas tudo foi em vão! Continuei casada sozinha, lutando pela família sozinha.
Neste último ano dei o melhor de mim, recebi o pior como em todos os anos que se foram. Ainda assim estava disposta a lutar pelo meu casamento para quem sabe um dia eu ter um pouco de paz, de respeito, de afeto sincero.
Sonhei sozinha, lutei sozinha, acreditei sozinha.
Mesmo perdoando todas as traições, toda frieza, toda falta de carinho e dedicação, nada adiantou.
Ele se foi...
Se eu já me sentia perdida, agora estou sem chão, sem norte, sem direção.
Ser casada a vida inteira, ver a pessoa que virou adulto junto com você, amadureceu com você, indo embora é muito doloroso e difícil de aceitar,de entender. 
Olho pra trás e vejo quanta coisa não fiz, não fui, não vivi, simplesmente para evitar brigas. Abri mão de tudo pela família, e hoje estou aqui; Sem marido, sem ter construido nada, sem saber o que me espera. Cheia de tantos medos, tanta dor!  A ausência física dele resmungando ou esbravejando pela casa está me consumindo.
Se eu ainda o amava; Não. Mas é difícil explicar, impossível de entender a falta que a presença ainda que ausente me faz. Sou sentimental demais, isto é ruim. Sofro, sofro muito!
Só resta buscar forças para continuar.Onde eu não sei.
 Meus filhos são todo apoio, carinho e amor para comigo. Espero em Deus que juntos refaremos nossas vidas. Espero em Deus que dias menos dolorosos possam vir!
 

domingo, 24 de dezembro de 2017

DIA 25. PRESENTE DE NATAL



       Meu anjo, que Deus continue te abençoando, protegendo e guiando seus passos sempre! Que você continue sendo este ser cheio de alegria, força, amor e bondade. Que você cresça cada vez mais em sua fé. A fé que te faz seguir em frente, a fé que te da sabedoria para lidar com as dificuldades...a fé que você usa para me apoiar nestes tempos tão difíceis para mim. A fé que te manteve lúcido e de pé durante anos tão sofridos.
Que você colha o melhor da vida, com humildade  e gratidão.
Você é um vencedor!  
Obrigada por existir!
 Esteja sempre sob o olhar cuidadoso de Deus!
Te amo! 


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

DESABAFO

Mesmo sem gostar de falar muito sobre o assunto, as vezes
sinto que preciso falar. Venho lutando contra a síndrome do pânico a mais de três anos. Muitas vezes, como neste último mês tenho crises fortes e que demoram muito a passar. Sei que não é fácil de entender para quem não sabe a dimensão dos sintomas e da dor no peito e na alma, que a síndrome do pânico causa. Mas para quem tem ou conhece a síndrome do pânico, sabe bem tudo que passo.
Além da psicóloga e da psiquiatra que são dois anjos que Deus me enviou, conto com a compreensão, apoio e carinho dos meus filhos. Sem eles eu não sei como seria.
 Os medos que tomam conta de mim, me paralisam. O medo da morte me rodeia a todo os momento.Tenho medo e sofro ao pensar na dor que minha morte causará aos meus filhos. É  um medo tão profundo, tão dolorido,sinto um buraco no peito, daqueles buracos que sentimos quando recebemos a notícia da morte de alguém muito querido. Choro, fico sem dormir, quase não como, tenho taquicardia, dores de cabeça...e por aí vai. É difícil enumerar tamanho desconforto que o transtorno do pânico causa em mim. Raramente saiu de casa sozinha. O medo me aprisiona. E assim tem sido meus dias, semanas, meses, anos...
A única coisa que a síndrome do pânico não me tirou, foi minha fé. E é pela fé que tenho seguido em frente, mesmo deixando até minha dança para lá. Agora recebo  visita da minha professora e grande amiga em minha casa de vez em quando. Ela vem me trazer um pouco de alegria e dançamos juntas aqui em casa.
Então é isto; um desabafo.

Continuo esperando dias melhores, com menos medo. Quem sabe um dia eu me veja livre disso tudo?
Quem sabe terei de volta segurança, minha força? Quem sabe?